0.00€

OBRAS COMPLETAS DE FILINTO ELYSIO * Francisco José do Nascimento (1817-1819)

OBRAS COMPLETAS DE FILINTO ELYSIO      *     Francisco José do Nascimento    (1817-1819)

OBRAS COMPLETAS DE FILINTO ELYSIO

Francisco José do Nascimento (FILINTO ELYSIO)

Segunda edição, emendada, e acrescentada com muitas Obras inéditas, e com o retrato do Autor.

PARIS, Na officina de A. Bobbée. 1817-1819.

Obra em 11 volumes; De 20x13 cm.

Com [i], [xiv], 448, [viii]; 464; 572; 446, [i]; 455; 567; xxi, 382; 464; 478; 556, e 624 pags.

Encadernações da época inteiras de pele com ferros a ouro, cansadas e com pequenos danos nalgumas lombadas.

Nota:

As obras de Filinto Elysio, incluem, entre outras, as traduções de: Os Martires ou Triunfo da Região Cristã, de Chateaubriand; As Cartas de uma Religiosa Portuguesa; as fábulas de Jean de Lafontaine; O tratado do Sublime, de Longino; Os Sucessos de Madame Senneterre; Elogio do Dr. Ribeiro Sanches; As Reflexões acerca da Poesia; etc.

Sobre o autor:

Inocêncio II, 446: 'Francisco Manoel do Nascimento, Presbytero secular, conhecido egualmente pelo nome poetico de Filinto Elysio, que adoptou depois de ter algum tempo usado do de Filinto Niceno. Nasceu em Lisboa, no antigo sitio e rua chamada da Ferraria, na freguezia de S. Julião, em 1734. Era Thesoureiro collado na egreja das Chagas de Christo, pertencente á confraria dos mareantes, quando em Junho de 1778 foi denunciado ao Sancto Officio por um clerigo do arcebispado de Braga, residente então em Lisboa. O tribunal passou as ordens necessarias para a sua captura, e effectivamente foi procurado em casa pouco depois das cinco horas da manhã do dia 4 de Julho, por um dos familiares a quem se encarregára a diligencia. A sua boa fortuna deparou lhe a facilidade de escapar se, mediante uma escada interior, pela qual conseguiu evadir se para a rua a seu salvo, e subtrahir se ás pesquisas dos seus perseguidores. Buscou primeiramente guarida no palacio do Conde da Cunha, que lhe ficava proximo, e depois em casa do seu amigo Timotheo Verdier, negociante francez onde esteve homisiado durante onze dias. Ao fim d'elles, em 15 do dito mez, obteve passagem em um navio destinado para o Havre de Graça, entrando para bordo disfarçado, e conduzindo ás costas um grande cesto de laranjas! Chegado ao Havre depois para París, onde entrou em 15 de Agosto, viveu ahi por alguns annos, até que no de 1792 Antonio d'Araujo de Azevedo (depois conde da Barca) então ministro de Portugal em Hollanda, o chamou para junto de si, offerecendo lhe o cargo de seu secretario particular. Em 1797 restituiu se a França, e ahi permaneceu o resto dos seus dias, vivendo successivamente em París, Versailles e Choisy. Posto que o seu amigo Araujo lhe obtivesse em tempo a reintegração nos fóros de cidadão portuguez, que perdêra pela fuga, não quiz utilisar se do decreto que lhe permittia voltar para a patria, pondo como condição para o fazer a restituição dos bens, que lhe tinham sido confiscados em seguida á sua evasão do reino. Os ultimos vinte annos, que passou em París. Dotado de compleição physica assás vigorosa, prolongou a sua vida até os 85 annos; porém a final, atacado de molestia, que o doutor Constancio, seu facultativo, capitulou de hydropesia de peito, succumbiu aos 25 de Fevereiro de 1819.

Sobre a Edição:

Esta edição, que mal se póde appellidar completa, faltando n'ella muitas composições já então impressas em separado, e outras publicadas depois, foi emprehendida e concluida segundo ouvi, á custa de Domingos Ribeiro França, livreiro da cidade do Porto, que pessoalmente se dirigiu a París, a fim de contractar com Filinto a compra de suas obras, tanto impressas como ineditas. O dr. Constancio foi encarregado da revisão das provas, incumbencia que não desempenhou tão bem como era de esperar; e attente se em prova para as immensas tabellas d'erratas, collocadas no fim dos volumes. É d'elle o Aviso ao leitor que vem no tomo I de pag. 1 a 8. Filinto não pôde vêr terminada a edição, por falecer logo apoz a publicação do tomo VIII.

Darei aqui a distribuição das materias contidas em cada um dos volumes, distinguindo o que foi simplesmente reproduzido das edições anteriores (hoje tidas em mui pouca estimação) do que foi de novo accrescentado.

Tomo I de 448 pag. Consta em geral de odes, sonetos, e outras poesias lyricas e miscellaneas, tudo já impresso (com diminutissima excepção) nos tomo I e II da antiga edição) que com o titulo de Versos de Filinto Elysio o auctor publicára em París em 1798 e annos seguintes. Tomo II de 461 pag. Contém as versões do Oberon, poema de Wieland e da Segunda Guerra Punica de Silio Italico. Tomo III de 560 pag. (alias 570, pela razão dada no fim). Encerra as poesias avulsas de Filinto até então ineditas, tornando se entre estas notaveis as versões por elle feitas de 38 odes de Ramler, poeta allemão falecido em 1798: mais varias composições do seu velho amigo Domingos Maximiano Torres; e a final, algumas suas já impressas. Tomo IV de 462 pag. As poesias de diversos generos, contidas n'este tomo, são em geral as que formavam os tomos III e IV da primeira collecção, a que acima alludi, publicada com o titulo de Versos de Filinto Elysio, em 8.º. Tomo V de 448 pag. Este volume é formado da reunião dos versos, que o poeta publicára por diversas vezes, em pequenos folhetos avulsos, quasi todos sem rosto ou titulo especial e no formato de 8.º pequeno; de modo que, reunidos e enquadernados juntos, serviam de V e VI na antiga collecção dos Versos de Filinto. É neste, volume que se encontram todas, ou quasi todas as producções do auctor, que podem merecer a qualificação de irreligiosas, e algumas o são de certo. Tomo VI de 556 pag. É todo preenchido com a traducção das Fabulas de Lafontaine, a que antecede a vida d'este poeta. Tomo VII de XXXII 379 pag. e Tomo VIII de 461 pag. Ambos estes volumes encerram unicamente a versão do poema Os Martyres de Chateaubriand, de que já antes se fizera edição em separado, dedicada pelo auctor ao seu antigo amigo e protector Conde da Barca. Tomo IX de 467 pag. Este e o seguinte volume, comprehendem sómente obras em prosa. Neste se incluem: 1.° O Elogio do doutor Antonio Nunes Ribeiro Sanches, composto em francez por Vicq d'Azyr, e traduzido por Filinto, que vi impresso anteriormente em folheto separado, mas não posso recordar-me da data da impressão. 2.º A traducção de Zadig, ou o destino, historia oriental, de Voltaire; diz Francisco Manuel que fizera esta versão ainda em Lisboa, isto é, antes de 1778, «para comprazer a uma menina, que lh'a pedíra.»  3.° Verdadeira historia dos successos de Armindo e Florisa, escripta em França por um parente de ambos em 1588. 4.° Discurso ácerca de Horacio e suas obras, escripto por Francisco Manuel em 1809, e que sahiu inserto em tres numeros do Investigador Portuguez em Inglaterra no anno de 1814. 5.° Tentame ácerca da sociedade dos litteratos com os grandes, Reflexões ácerca da poesia, Reflexões sobre a historia, e Observações sobre a arte de traduzir, opusculos todos de d'Alembert, e vertidos por Filinto das Mélanges de Litterature, d'Histoire, et de Philosophie do mesmo auctor. Tomo X de 555 pag. Contém: l.º Successos de Madama de Senneterre, novella, traduzida do francez. 2.º Heroicidade do amor e da amisade, dita. 3.º Cartas de uma religiosa portugueza (Vej. n'este Diccionario o artigo D. Marianna Alcoforado). 4.º Os Heroes de novella, apologo dialogal traduzido de Boileau. Tomo XI de 619 pag. Contém até pag. 288, sob a indicação de Ultimas obras, um bom numero de poesias varias, quasi todas ainda ineditas, originaes e traduzidas; a versão completa da Andromacha, tragedia de Racine; dous actos do Coriolano de Laharpe; um fragmento da Iphigenia em Aulis, de Racine; parte do livro I da Pharsalia de Lucano, etc. etc. O resto do volume é preenchido com a traducção do Tratado do sublime de Longino (feita sobre a versão de Boileau), e com uma novella, egualmente traduzida do francez, e intitulada a Voz da Natureza. É tambem n'este volume que se acha a derradeira producção de Francisco Manuel; isto é, a versão por elle feita poucos dias antes de falecer, da ode do sr. Raynouard a Camões. (V. Heliodoro Jacinto de Araujo Carneiro.) O autographo d'esta versão escripto inteiramente do punho de Filinto, e de letra bem legivel e clara, existe hoje em poder do sr. Barbosa Marreca'.

Comentários
Pesquisa Rápida
 Pesquisa Avançada
Informação de Autor
Outros Autores
Partilhar Artigo
Partilhar por E-Mail
Partilhar no Facebook Partilhar no Twitter
Notícias
osCommerce